Vídeos ambientais e agroepecuários

Loading...

EU AMO AGRONOMIA

EU AMO AGRONOMIA

Pesquisar este blog

CRONOS - RELÓGIO MUNDIAL

Seguidores

COMO SOMOS AFORTUNADOS

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

PROJETO INÉDITO SOBRE FERTILIDADE DOS SOLOS

Por Editor em 29/01/2010 

Agrisus finaliza projeto inédito sobre fertilidade de solos:
Créditos: Divulgação
A Fundação Agrisus - Agricultura Sustentável finalizou o relatório do projeto que avaliou a fertilidade do solo de lavouras de soja e milho cultivados no sistema de plantio direto em 13 Estados brasileiros, num total de 1.171 propriedades visitadas. É o mais completo e abrangente estudo de campo já realizado neste setor e o resultado foi reunido um banco de dados com aproximadamente 63 mil itens resultantes da análise de 2.342 amostras de solo coletados nessas lavouras.



O relatório, que faz uma análise especial sobre a presença do fósforo (P) - elemento fundamental para a produtividade - o principal projeto financiado nos oito anos de atividade da entidade, revela o presidente Fernando Penteado Cardoso. "Ao concluir uma pesquisa tão abrangente, a Fundação disponibiliza um amplo conjunto de dados cuja interpretação poderá contribuir para o desenvolvimento da agropecuária nacional", diz Cardoso.

O trabalho confirma observações de campo que indicam a falta de resposta das culturas principalmente para o fósforo quando ocorre em altas concentrações no solo, sugerindo a possibilidade de menor investimento nesses nutrientes após confirmação pela análise de solo.

PRINCIPAIS RESULTADOS

O Relatório sobre Fósforo informa a existência de uma camada de alto teor de P disponível em grande parte das terras cultivadas com soja e milho em sistema de plantio direto. Essa tecnologia, ao dispensar a incorporação do adubo à terra, estabelece um novo ambiente edáfico para os nutrientes fornecidos às plantas.

Os resultados confirmam pesquisa anterior apoiada pela Agrisus, feita em Rio Verde (GO), e explicam também as observações de muitos produtores de que certos solos sob plantio direto pouco reagem à adubação fosfatada.

Os dados das analises indicam solos na maior parte já corrigidos, não mostrando diferença de produtividade da soja entre terras argilosas, médias ou arenosas. Tampouco existem diferenças entre solos com ou sem camada de alto fósforo (P) disponível, o que é explicável pela suficiência da adubação feita nas terras mais pobres.

Os resultados sugerem a importância de observações e experimentos complementares para determinar as situações em que a adubação de fósforo (P) poderá ser limitada à dosagem de arranque, sejam 20/30 kg/ha de P2O5 no risco, com redução do custo de produção.

A PESQUISA

A coleta de amostras de solo foi feita durante o Rally da Safra 2009, uma expedição técnica realizada anualmente durante o período de colheita da safra de verão de soja e milho no Brasil. É promovida pela Agroconsult e conta com o apoio da Agrisus, entre outros parceiros, e tem por objetivo obter informações mais precisas e regionalizadas. No ano passado foram seis equipes de profissionais do agronegócio que percorreram mais de 50 mil quilômetros pelo Brasil, cruzando 13 Estados no período entre 8 e 15 de março, quando mapearam os níveis de tecnologia e produtividade das lavouras.

As amostras de solo foram processadas pelo laboratório Micellium, de Barretos (SP), e os resultados analisados pela ConPlant, de Campinas (SP), que finalizou o relatório em dezembro.

Os resultados poderão ser utilizados por pesquisadores, empresas, órgão públicos e outros interessados, que tem em mãos um quadro detalhados e preciso sobre a situação do solo que cultiva soja e milho no Brasil.

Segundo Cardoso, "a existência comprovada de um horizonte de alto teor de fósforo em grande parte dos pontos visitados, poderá ensejar pesquisas adicionais que venham a confirmar ou alterar as atuais recomendações de adubação fosfatada". Estudos subsequentes poderão analisar a situação das principais bases, K, Ca e Mg, bem como de outros resultados laboratoriais constantes do banco de dados, ampliando o conhecimento sobre esses solos.

A FUNDAÇÃO

A Fundação AGRISUS - Agricultura Sustentável é uma entidade que incentiva a pesquisa agronômica e a extensão rural, além de estimular a capacitação e o aperfeiçoamento profissional com a finalidade de gerar, desenvolver e difundir tecnologias destinadas a otimizar a fertilidade da terra de forma sustentável e favorável ao meio ambiente. Foi criada em 2001 por iniciativa da família do engenheiro agrônomo Fernando Penteado Cardoso, fundador do Grupo MANAH.

MAIS INFORMAÇÕES

Clique aqui para baixar a apresentação do Projeto Fósforo no Sistema de Plantio Direto (1,13 MB - arquivo PDF).

FONTE

Comunicativa
Cibele Vieira - Jornalista
Telefone: (19) 3256-4863

JORNAL AGROSOFT

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Solicitamos, tão somente, que não se faça uso de linguagem vulgar!