Vídeos ambientais e agroepecuários

Loading...

EU AMO AGRONOMIA

EU AMO AGRONOMIA

Pesquisar este blog

CRONOS - RELÓGIO MUNDIAL

Seguidores

COMO SOMOS AFORTUNADOS

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

SEMIÁRIDO EM FOCO 14/12/2012



INSA apresenta ações de revitalização da Palma Forrageira


No Semiárido em Foco desta semana, no dia 14/12, serão apresentados os projetos desenvolvidos pelo Instituto Nacional do Semiárido (INSA/MCTI) para revitalização da cultura da Palma Forrageira no Semiárido brasileiro. A coordenação e o desenvolvimento do projeto são de responsabilidade do INSA, com aporte financeiro no valor de meio milhão de reais.

A palma forrageira apresenta-se como a principal fonte de alimento para os rebanhos bovinos, caprinos e ovinos nos longos períodos de estiagem, constituindo-se em uma importante alternativa econômica e social para o Semiárido.  No entanto, esta base de sustentação alimentar se encontra seriamente ameaçada por um inseto produtor do ácido carmínico, conhecido como Cochonilha-do-Carmim, Dactylopius opuntiae. O inseto produz um corante natural que pode ser utilizado com finalidade comercial, mas no Brasil a espécie espalhou-se de modo desordenado, devastando as plantações da palma forrageira no Semiárido e provocando prejuízos na produção pecuária, especialmente em regiões de bacias leiteiras.

Na Paraíba, os municípios afetados estão distribuídos nas Mesorregiões do Agreste, Borborema e Sertão, totalizando 13 Microrregiões atingidas. A situação mais grave é a da Mesorregião da Borborema, onde 70% dos municípios encontram-se atingidos, seguida da Mesorregião do Sertão com 60%, e do Agreste com mais de 40%. Enquanto na Mesorregião do Agreste a Microrregião mais atingida é a do Curimataú Oriental com mais de 70% de ocorrência, na Mesorregião da Borborema as Microrregiões do Cariri Oriental e do Cariri Ocidental apresentam cerca de 90% e 100%, respectivamente.

 Já na Mesorregião do Sertão, destacam-se as Microrregiões de Itaporanga e Serra do Teixeira, com 100% e 90% de ocorrência.
As palestras do Programa Semiárido em Foco acontecem todas as sextas-feiras, na sede do Instituto, às 14h, e são abertas ao público. Na palestra desta semana, os pesquisadores do INSA Bérgson Guedes Bezerra, Daniel Duarte Pereira e Jucilene Silva Araújo apresentarão os projetos de revitalização da cultura da palma forrageira desenvolvidos pelo Instituto por meio da divulgação, pesquisa e inovação, utilizando variedades resistentes à Cochonilha-do-Carmim. Atualmente existem três variedades de palma forrageira resistentes à praga, duas do gênero Nopalea (Palma doce ou miúda e Palma IPA Sertânea ou Baiana - Nopalea cochenillifera Salm-Dick) e uma do gênero Opuntia (Palma Orelha de Elefante Mexicana - Opuntia tuna (L.) Mill).

Como resultado deste projeto, já foram criados Gabinetes da Palma em alguns municípios e Estados do Semiárido brasileiro, e existe a proposta de criação de um Gabinete da Palma Forrageira e outras cactáceas do Semiárido brasileiro, para atuar em nível regional, a fim de agregar e fortalecer as unidades estaduais e municipais. Os Gabinetes da Palma são articulações interistitucionais, intergovernamentais e da sociedade civil instituídos para buscar políticas públicas de revitalização da cultura da palma forrageira na região semiárida.

Jucilene Silva Araújo, pesquisadora da área de produção vegetal, explica que “por meio deste projeto estão sendo implantados campos de pesquisa em 26 municípios das 13 Microrregiões da Paraíba afetadas pela praga”. Ainda, segundo a pesquisadora, a principal finalidade do projeto é desenvolver pesquisas que tragam respostas aos produtores em relação ao melhor manejo e variedade para as diferentes condições de clima e de solos do Estado.  Jucilene lembra que as raquetes colhidas durante a vigência do projeto serão distribuídas com os produtores da região na qual o campo será instalado .

Parcerias institucionais

O INSA tem firmado parcerias com outras instituições para a expansão do projeto de revitalização da palma. Recentemente, em sua Estação Experimental foi implantado um campo de 1 ha de palma resistente, em parceria com a Fundação Parque Tecnológico da Paraíba (PaqTcPB). E um Acordo de Cooperação Técnica foi firmado com o Centro de Tecnologias Estratégicas do Nordeste (CETENE), também Unidade de Pesquisa pertencente ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). Por meio deste acordo se prevê a micropropagação de mudas de palma com potencial forrageiro e frutífero para os agricultores e criadores do Semiárido. As mudas serão produzidas em larga escala em laboratórios, por meio da cultura de tecidos de palma dos gêneros Opuntia e Nopalea - variedades resistentes a Cochoniha-do-Carmim – e também de palma frutífera.
De acordo, com Jucilene Silva Araújo, “a congregação de esforços entre as diversas Instituições resultará em expansão do projeto de revitalização da palma forrageira para outros Estados do Semiárido”. Neste processo, o INSA almeja o fortalecimento das parcerias institucionais das quais resultarão ações unificadas para a resolução do problema da Cochonilha-do-carmim.


INSA/MCTI

Abraço fraterno!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Solicitamos, tão somente, que não se faça uso de linguagem vulgar!